Qualificar-se é Essencial!

Qualificar-se é essencial para evoluir, crescer e ser uma pessoa melhor. A afirmativa, qualificar-se é essencial, também é válida para empresas que buscam competir nesse ambiente global.

E aí, beleza?Qualificação

Nesse texto vamos abordar a importância da evolução contínua, tanto para pessoas quanto para empresas, que desejam alcançar posição de destaque em um mercado cada vez mais competitivo e sem fronteiras. Vou trazer o passo a passo para você buscar a qualificação ideal para as suas necessidades.

Como você sabe, atualmente as estatísticas trazem números assustadores de desempregados em nosso país. São mais de 12 milhões de pessoas sem um emprego formal, lutando para se recolocarem em uma empresa.

É muito provável que você conheça uma ou mais pessoas que estão enviando currículos, participando de processos seletivos e não estão conseguindo a tão desejada vaga. Muita gente gostaria de crescer dentro da empresa que está trabalhando há anos e não está conseguindo. Muitas empresas buscam otimizar sua produção, reduzir custos e não estão conseguindo.

As razões para isso estar acontecendo são diversas. Infelizmente, hoje em dia, muitas pessoas com boa qualificação estão fora do mercado de trabalho. Sabe-se que com o grande número de desempregados, as empresas estão oferecendo salários abaixo dos praticados há alguns anos devido a lei da oferta e da procura. Há quem prefira culpar o Governo, outros a cotação do Dólar ou mesmo a automação cada vez mais presente na indústria. Empresas com máquinas antigas,  de alto custo de manutenção e baixa produtividade, culpam os concorrentes pelo seu insucesso. Os motivos são diversos e a criatividade no momento de aponta-los é enorme.

Provavelmente você é uma pessoa que se preocupa com sua qualidade de vida, busca crescimento pessoal e profissional e vai alcança-lo. E é para você que eu escrevo esse texto. Caso você não se preocupe com a sua qualidade de vida, não queira melhorar sua condição atual e crescer, sugiro que pare de ler aqui mesmo e utilize seu tempo em outra atividade. Porém se você quer melhorar, continue lendo e vou te deixar ótimas dicas para que você alcance seus objetivos.

Antes de mais nada, parabéns pela sua decisão de continuar lendo. Você realmente se preocupa com você mesmo e com seu bem estar. Você sabe que se você não tiver essa preocupação, dificilmente alguém vai ter. Você sabe que você é o responsável por aquilo que acontece ou deixa de acontecer em sua vida e estou muito feliz em compartilhar esse conteúdo com você.

Como diz o título desse texto, qualificar-se é essencial. Aqueles que desistiram de continuar lendo o texto pode ser que até saibam disso, porém não fazem nada para melhorar. Só saber não é suficiente. Você é diferente. Você sabe e transforma em ação seus conhecimentos.

Qualificar-se é essencial e você já sabe disso. Talvez sua dúvida seja como buscar a melhor qualificação e em quais áreas. Fazer um curso de curta duração? Fazer uma pós graduação? Presencial ou online? Enfim, as dúvidas são variadas e é exatamente para você que trago o passo a passo a seguir:

– Passo 1: Qual seu objetivo? Antes de qualquer tomada de decisão é fundamental você saber qual o seu objetivo. Exemplos de objetivos são: ser promovido, ser mais assertivo, elaborar apresentações melhores, falar um idioma, ser um pai/mãe melhor, ser um marido/esposa melhor, etc.

– Passo 2: Agora que você sabe seu objetivo, quais habilidades ou competências você precisa desenvolver para alcança-lo? Caso você queira ser promovido, quais habilidades e competências são necessárias para você ocupar tal cargo? Vamos supor que são as seguintes: Gestão de pessoas, liderança, comunicação e inglês.

– Passo 3: Agora que você tem conhecimento das habilidades e competências necessárias para chegar no seu objetivo, vem a autoavaliação. Como eu estou nesses itens? Sugiro dar uma nota de 0 a 10 para cada habilidade ou competência que você precise desenvolver para chegar no seu objetivo. E aqui a honestidade e a sinceridade são fundamentais. Você precisa ser honesto e sincero com você mesmo ao se dar as notas. Caso contrário, dificilmente seu objetivo será alcançado.

– Passo 4: Agora que você já fez a autoavaliação, o passo seguinte é identificar qual patamar você precisa alcançar. Por exemplo: Gestão de pessoas – atualmente estou em 4 e preciso chegar em pelo menos 8. Uma folha dividida em 4 colunas pode facilitar sua organização de ideias. Coluna 1 – Habilidade e Competências, Coluna 2 – Nota Atual e Coluna 3 – Nota a alcançar. A Coluna 4 será tratada a seguir, no Passo 5.

– Passo 5: Agora que você já sabe seu objetivo, quais habilidades e competências são necessárias, fez a autoavaliação, nesse passo vamos definir as ações para sair da sua nota atual para a nota desejada. Se você entende que em Gestão de pessoas sua nota atual é 4 e você precisa chegar em pelo menos 8, como você vai evoluir esses 4 pontos? Aqui caberá a você identificar quais as melhores formas de alcançar a nota 8. As possibilidades são diversas, pode ser um curso, ler um livro, fazer uma pós, acompanhar o gestor e ver como ele faz ou muitas vezes como ele não faz. Enfim, como dito, as possibilidades são diversas e você precisa entender qual a mais viável para você. Cabe avaliar aspectos financeiros, disponibilidade de tempo, prioridades etc.

Esse passo a passo é facilmente aplicado para uma empresa que deseja crescer. Você entende a necessidade contínua de aprimoramento e agora com esses 5 passos tenho certeza que você irá alcançar seu objetivo. Entender que a paciência e a persistência serão suas maiores aliadas irá te ajudar bastante.

Você tem a força e a energia necessárias para chegar lá!

Tenha você um novo olhar par a qualificação.

Grande abraço.

Espere! Espere! não vá embora ainda!

E-Book Um Novo Olhar para a Vida Gabriel Metzler

Paciência…

Paciência é uma das grandes virtudes do Ser Humano e tem ficado de lado em muitas situações. Como está a sua?

E aí, beleza?Paciência Gabriel Metzler

Cobrança no trabalho, contas, trânsito, insegurança são apenas alguns fatores que tem tirado a paciência de muita gente. Normalmente a falta de paciência reflete nos relacionamentos com as pessoas que gostamos. Neste texto serão abordados algumas questões importantes ligadas a paciência, uma das grandes virtudes do Ser Humano.

A Paciência e o autocontrole andam de mãos dadas.

Ter paciência é controlar as emoções e manter-se calmo diante de situações que gerem incômodos. A paciência também é exercitada quando é necessário aguardar por algo, seja uma resposta ou uma entrega, enfim, fatores que não dependem da sua vontade ou ação.

A paciência é facilmente percebida em pessoas maduras emocionalmente. Paciência significa não agir com pressa, ser atento e cuidadoso com o que se está fazendo; saber ouvir, ver, sentir e falar. Só que paciência tem limite!

Confesso que eu não era muito paciente, só que a vida foi me ensinando que a paciência nos proporciona muitas vantagens e vitórias. Quando sofri o acidente, em 1998, estava sendo disputada a Copa do Mundo da França e lembro que, ainda no Hospital, um médico me falou que eu logo voltaria a enxergar. Eu no auge dos meus 15 anos, e como você sabe, adolescente tem muita paciência, pensei que em poucos dias estaria vendo tudo outra vez e poderia acompanhar os jogos da Copa.

Logo na primeira consulta com o oftalmologista já percebi que não seria bem assim e foi ali que comecei a aprender a ter paciência. Foram três cirurgias em um curto período de tempo e após cada uma delas, devido a técnica usada, eu precisava ficar 10 dias de bruços. Isso mesmo, 10 dias de bruços… Foram dois meses até começar a enxergar vultos.

Lembro claramente uma frase que o Dr. Carlos Augusto Moreira Jr., meu oftalmologista e amigo, falou: “Gabriel, temos que dar tempo ao tempo” e ela parece simples, porém traz um significado enorme quando se trata de paciência.

Conforme o tempo foi passando, fui desenvolvendo a paciência. Hoje já estou bem melhor que antes, e ainda longe do ideal.

Atualmente, após a perda da visão, tenho exercitado e muito a paciência. Em alguns casos, situações simples do dia-a-dia exigem um esforço enorme para manter a calma. Podem ser situações em que estou sozinho, fazendo atividades e que encontro dificuldades por não enxergar ou situações em que dependo da ajuda de outras pessoas para fazer.

E você, sabe como está a sua paciência?

Muitas vezes, coisas simples nos tiram do sério. O calor, o telefone que não funciona, uma fechada no trânsito, etc. Quantas mortes tem ocorrido por discussões que começaram por uma questão banal?

O senso de urgência, a necessidade neurótica de estar sempre certo, de querer as coisas sempre do nosso jeito vão gastando nossa reserva de paciência. Junto com esse desgaste, vem as consequências, e normalmente não são boas para o nosso corpo. Liberação de Cortisol, ansiedade, raiva, dor de cabeça, pressão alta são apenas algumas das terríveis consequências que a falta de paciência nos traz.

Três dicas que eu deixo aqui, para você aplicar na sua vida e ter mais paciência são:

– Você fez a sua parte. Em muitas situações nós dependemos dos outros. Nós temos que fazer a nossa parte e esperar que os outros façam. Não precisa esperar de braços cruzados. Seja em casa ou no trabalho, orientar como fazer pode evitar muito desgaste. Ninguém dá o que não tem. Assim como você não gosta de ser cobrado por algo que você não sabe fazer, não faça isso com os outros. Caso a pessoa não saiba fazer, explique como fazer, e faça isso calmamente. Sob stress ou nervosa, a pessoa certamente não produzirá 100%.

– Você quer ter razão ou ser feliz? Muita gente quer sempre ter razão. Em algumas situações aceite a opinião dos outros. Isso não vai fazer de você menos competente ou capaz.

– A persistência é aliada da paciência. Como no caso que falei, da minha recuperação das cirurgias, a paciência e a persistência caminharam sempre juntas. Eu sabia claramente onde queria chegar, e por mais difícil que fosse ficar tanto tempo de bruços, exercitei minha paciência junto com a persistência e consegui alcançar meu objetivo.

A paciência é uma virtude, e exige muito treino para ser desenvolvida. Passamos por desafios e provas diárias e se você encarar essas situações de forma positiva e enxergá-las como oportunidades para praticar, logo a sua paciência estará bem desenvolvida.

Tenha você também um novo olhar para a paciência.

Grande abraço!

Barreiras, ajudam ou atrapalham?

Barreiras fazem parte do dia a dia de todos. Algumas são necessárias, outras não. Algumas nos ajudam e outras nos atrapalham. Elas interferem na nossa qualidade de vida.

E aí, beleza?Barreiras ajudam ou atrapalham

As barreiras estão presentes no nosso dia a dia e algumas são necessárias, para a nossa proteção. Porém outras são limitadoras e acabam interferindo no nossa qualidade de vida.

As barreiras podem ser de diversas formas. Dois exemplos são as barreiras físicas e as psicológicas.

Um muro, uma cerca são barreiras físicas que muitas vezes nos protegem.

Por exemplo, em uma obra, são colocadas barreiras para limitar a entrada de pessoas em algumas áreas de risco. Infelizmente, nós precisamos de muros e cercas no entorno de nossas casas para nos proteger e nos dar segurança. Indústrias instalam barreiras em alguns equipamentos para proteger e evitar acidentes de trabalho com seus funcionários. No futebol ela protege o time em uma cobrança de falta. O medo é uma barreira psicológica que, muitas vezes, nos protege de correr riscos.

Por outro lado existem muitas barreiras que nos limitam, as vezes até nos impedem de fazer algo.

Muitas barreiras nós criamos em nossa mente e nos limitam, outras são barreiras criadas e impostas pela sociedade e prejudicam muito a qualidade de vida, principalmente das pessoas com deficiência.

Nessa semana, no dia  21 de setembro, é celebrado o Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência e na Lei Brasileira da Inclusão, Lei nº 13146/2015, é apresentado um conceito interessante de barreira, que é:

Barreiras: qualquer entrave, obstáculo, atitude  ou comportamento que limite ou impeça a participação social da pessoa, bem como  o gozo, a fruição e o exercício de seus direitos à acessibilidade, à liberdade  de movimento e de expressão, à comunicação, ao acesso à informação, à  compreensão, à circulação com segurança, entre outros, classificadas em:

– Barreiras urbanísticas: as existentes nas vias e nos espaços públicos e privados abertos ao público ou de uso coletivo;

– Barreiras arquitetônicas: as existentes nos  edifícios públicos e privados;

– Barreiras nos transportes: as existentes nos sistemas e meios de transportes;

– Barreiras nas comunicações e na informação: qualquer entrave, obstáculo, atitude ou comportamento que dificulte ou  impossibilite a expressão ou o recebimento de mensagens e de informações por  intermédio de sistemas de comunicação e de tecnologia da informação;

– Barreiras atitudinais: atitudes ou comportamentos que impeçam ou prejudiquem a participação social da pessoa com deficiência em  igualdade de condições e oportunidades com as demais pessoas;

– Barreiras tecnológicas: as que dificultam ou impedem o acesso da pessoa com deficiência às tecnologias;

E essas barreiras afetam diretamente a Acessibilidade. A mesma Lei traz o seguinte conceito para Acessibilidade:

Possibilidade e condição de  alcance para utilização, com segurança e autonomia, de espaços, mobiliários,  equipamentos urbanos, edificações, transportes, informação e comunicação,  inclusive seus sistemas e tecnologias, bem como de outros serviços e instalações  abertos ao público, de uso público ou privados de uso coletivo, tanto na zona  urbana como na rural, por pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida;

Como, com tantas barreiras, uma pessoa com deficiência vai ter autonomia e segurança?

Para mim, a primeira barreira que precisa ser destruída e que terá efeito sobre todas as outras é a Barreira Atitudinal. Essa barreira provoca atitudes ou comportamentos que impedem ou prejudicam a participação social da pessoa com deficiência em  igualdade de condições e oportunidades com as demais pessoas.

Essa barreira está impedindo que as demais barreiras sejam destruídas. Enquanto a pessoa não se conscientizar que a Acessibilidade é boa para todos, inclusive ela própria precisará de acessibilidade em algum momento da sua vida, ela não vai agir para que o local onde ela mora, trabalha ou frequenta seja acessível.

Talvez alguém que está lendo pense, mas quando eu vou precisar de acessibilidade Gabriel?

Como diz a Lei, a acessibilidade é muito útil para a pessoa com deficiência para pessoas com dificuldade de locomoção. Pode ser uma limitação temporária que você tenha como uma perna quebrada, cirurgia no joelho, problema na coluna, enfim, são inúmeras as situações que a acessibilidade facilitaria muito a vida.

Para você que é pai ou mãe e já precisou ou precisa andar com um carrinho de bebê, a acessibilidade facilitaria sua vida?

E tem uma que, caso você não morra jovem, você vai ficar idoso e fará muito uso da acessibilidade. Mas para que exista essa possibilidade, é preciso uma mudança de atitude, de comportamento. Só com a quebra da barreira atitudinal será possível quebrar as barreiras urbanísticas, arquitetônicas, nos transportes, nas comunicações e nas tecnologias.

Tenha você também um novo olhar para as barreiras atitudinais.

Grande abraço.

Rumo à Liberdade!

Já imaginou um cego em uma Harley-Davidson na estrada? Rumo a Liberdade foi o passeio inclusivo realizado em parceria entre o Grupo de Donos de Harley-Davidson  e a ONG Antes do Ouro no último sábado, 02/09, em Curitiba. Confira como foi!

E aí, beleza?passeio-inclusivo-rumo-a-liberdade

Muitos falam em inclusão, direitos das pessoas com deficiência, porém são poucos aqueles que realmente fazem a inclusão.

No último sábado, 02/09/2017, foi realizado o Passeio Inclusivo Rumo a Liberdade promovido em parceria pelo HOG The One Chapter, Grupo de Donos de Harley-Davidson de Curitiba e a ONG Antes do Ouro, que trabalha com atletas Paralímpicos. Esse Grupo de Motociclistas desenvolve algumas ações sociais e essa foi mais uma, que ficará marcada na memória dos participantes.

A proposta do evento foi proporcionar às pessoas com deficiência a experiência de andar em uma Harley-Davidson e aos seus donos uma oportunidade de mostrar a outras pessoas o estilo Harley-Davidson de vida. O Grupo percorreu aproximadamente 70 km, considerando ida e volta, deslocando-se de Curitiba até Campo Largo e na sequencia retornou a Curitiba. O passeio durou cerca de 45 minutos e participaram aproximadamente 30 motocicletas.

Lembro que na minha infância eu gostava muito de motos, principalmente de corridas como Motocross e Supercross, que ocorriam com boa frequência na cidade onde eu morava e nas cidades próximas. Andava muito de bicicleta e imaginava ser um piloto. Adorava ir na pista de bicicross com os amigos.

Mais de 20 anos depois, sem enxergar nada, tive a oportunidade de desfrutar de uma experiência fantástica, proporcionada pelo Grupo de Donos de Harley e a ONG Antes do Ouro. Foi uma mistura de adrenalina com memórias da infância. Uma sensação de liberdade tomou conta ao sentir o vento no rosto.

Estar sobre uma Harley-Davidson, que pesa 450 kg, equipada com motor de 1800 cc. Curtindo um AC/DC, com certeza ficará gravado para sempre.

Priscila Gomes, que é Psicóloga e deficiente visual também participou do Passeio e disse que no início sentiu um pouco de insegurança e medo, mas após o início do trajeto a sensação de liberdade tomou conta das suas emoções. Ela disse que, mesmo não sendo ela quem estava pilotando a motocicleta, realmente se sentiu parte daquilo que estava acontecendo.passeio-inclusivo-rumo-a-liberdade-2

Priscila e eu éramos os únicos com deficiência visual. Outras pessoas com deficiência, como amputados e cadeirantes,  que participaram do evento relataram experiências parecidas.

A lição muito forte que ficou dessa experiência é que a pessoa com deficiência pode estar em todos os lugares. Sabemos que existem limitações, como falou Priscila, um deficiente visual não vai participar de algo assim pilotando a moto, mas pode perfeitamente participar como garupa e sim, estar incluído de fato no passeio.

O Passeio Inclusivo reforçou a importância da Acessibilidade Atitudinal em todos os locais e atividades. A pessoa com deficiência pode sim participar ativamente de situações que muitos não conseguem enxergar como, mas na grande maioria das vezes, o que precisamos é só um pouco de boa vontade.

As soluções são muito mais simples do que muitos imaginam e ainda bem que temos pessoas que sabem disso e desenvolvem eventos como o Passeio Inclusivo Rumo a Liberdade.

O lugar da pessoa com deficiência é onde ela quiser estar. Com Acessibilidade Atitudinal as barreiras são destruídas!

Aproveito para, mais uma vez, agradecer aos organizadores do evento a grande oportunidade de ir para a estrada sobre uma Harley-Davidson!

Tenho você também um novo olhar para inclusão!

Grande abraço.

As emoções foram censuradas?

Emoções são essenciais para desfrutarmos a vida em sua plenitude. O Hemisfério Direito do cérebro é quem comanda o lado emocional, e parece estar sendo censurado.

E aí, beleza?

Atualmente fala-se muito de resiliência, em ser forte, resistente às adversidades. emoções censuradas Gabriel MetzlerAguentar cobranças excessivas, correria em função do trânsito, insegurança e as pessoas ainda precisam aparentar estabilidade emocional, equilíbrio 24 horas por dia.

Talvez você já tenha se emocionado com seu filho, marido ou esposa, mas, por algum motivo preferiu manter-se, pelo menos externamente, estável, sem demonstrar qual seu real sentimento. Não é verdade? E eu te pergunto, por que decidiu agir assim?

O lado esquerdo do cérebro é o racional, métrico, calculista.

É o lado esquerdo do cérebro que nos mantem em segurança. É o lado esquerdo que nos faz tomarmos decisões baseadas na razão. Só que, às vezes, nos impede de alçar voos maiores. Porque onde existe segurança em excesso, existe cautela, um medo.

E o lado direito do nosso cérebro é a emoção.

E ele tanto pode nos ajudar, quanto atrapalhar. E se você ouvir só um lado da emoção vai tomar decisões que vai se arrepender para o resto da vida. É aquela ânsia de querer fazer alguma coisa e sair fazendo.

E se você ouvir só a razão, provavelmente vai deixar de fazer algumas coisas. De ir atrás dos seus sonhos.

Com a perda da visão, aprendi a trabalhar melhor o hemisfério direito do meu cérebro. Atualmente minha visão está diretamente ligada a minha imaginação. Ainda tenho as lembranças visuais, e com novas referências como cheiro, sons e descrições tento montar aquela imagem na minha mente. Desenvolver a criatividade passou a ser tarefa diária para mim.

Ao mesmo tempo que eu ouço muito minhas emoções, algumas decisões são guiadas muito mais pelo lado esquerdo do cérebro, o lado racional, do que quando eu podia enxergar. Hoje eu procuro colocar os dois hemisférios do cérebro para trabalhar em parceria. Se eu tiver vontade de andar de bicicleta, eu não posso simplesmente pegar uma e sair andando. Acho que não vai dar muito certo. Tenho que achar uma com dois lugares e andar junto com alguém. Mas nem por isso eu vou deixar de sentir a emoção de andar de bicicleta, sentir o vento no rosto.

E é aí que está a pergunta que eu quero te fazer. E como estão as emoções na sua vida?

Estão caladas, você tem se guiado só pela razão? Ou anda numa linha de equilíbrio? Você pode dizer que está muito bem nessa questão.

Eu sugiro que você seja sincero com você mesmo, será que não está faltando um pouco de tempero na sua vida?

Será que você tem feito coisas diferentes? Tem acessado um novo caminho…

Ou elas estão gritando e você tem tomado decisões só pela razão?

O campo das emoções não precisa de um milagre para ser trabalhado. Confesso que eu costumava agir muito mais pelo racional, evitando desfrutar e explorar minhas emoções.

Por exemplo, para mim, 10 passos em uma nova direção despertam uma nova emoção, é um caminho novo, um lugar diferente e junto vem a sensação de liberdade. E você que pode ir para qualquer lugar? Que os seus olhos te guiam, Você tem se privado das emoções? Ou tem se permitido sentir emoções?

Será que você Está fazendo economia de emoções?

Se for para fazer economia na sua vida, que ela seja financeira. Se permita sentir emoções.

Se tiver vontade de chorar, chore. Se tiver vontade de rir, ria. Nós não somos robôs, mas parece que estão tentando robotizar nossas emoções.

Tenha um novo olhar para suas emoções.

Grande abraço.