Qualificar-se é Essencial!

Qualificar-se é essencial para evoluir, crescer e ser uma pessoa melhor. A afirmativa, qualificar-se é essencial, também é válida para empresas que buscam competir nesse ambiente global.

E aí, beleza?Qualificação

Nesse texto vamos abordar a importância da evolução contínua, tanto para pessoas quanto para empresas, que desejam alcançar posição de destaque em um mercado cada vez mais competitivo e sem fronteiras. Vou trazer o passo a passo para você buscar a qualificação ideal para as suas necessidades.

Como você sabe, atualmente as estatísticas trazem números assustadores de desempregados em nosso país. São mais de 12 milhões de pessoas sem um emprego formal, lutando para se recolocarem em uma empresa.

É muito provável que você conheça uma ou mais pessoas que estão enviando currículos, participando de processos seletivos e não estão conseguindo a tão desejada vaga. Muita gente gostaria de crescer dentro da empresa que está trabalhando há anos e não está conseguindo. Muitas empresas buscam otimizar sua produção, reduzir custos e não estão conseguindo.

As razões para isso estar acontecendo são diversas. Infelizmente, hoje em dia, muitas pessoas com boa qualificação estão fora do mercado de trabalho. Sabe-se que com o grande número de desempregados, as empresas estão oferecendo salários abaixo dos praticados há alguns anos devido a lei da oferta e da procura. Há quem prefira culpar o Governo, outros a cotação do Dólar ou mesmo a automação cada vez mais presente na indústria. Empresas com máquinas antigas,  de alto custo de manutenção e baixa produtividade, culpam os concorrentes pelo seu insucesso. Os motivos são diversos e a criatividade no momento de aponta-los é enorme.

Provavelmente você é uma pessoa que se preocupa com sua qualidade de vida, busca crescimento pessoal e profissional e vai alcança-lo. E é para você que eu escrevo esse texto. Caso você não se preocupe com a sua qualidade de vida, não queira melhorar sua condição atual e crescer, sugiro que pare de ler aqui mesmo e utilize seu tempo em outra atividade. Porém se você quer melhorar, continue lendo e vou te deixar ótimas dicas para que você alcance seus objetivos.

Antes de mais nada, parabéns pela sua decisão de continuar lendo. Você realmente se preocupa com você mesmo e com seu bem estar. Você sabe que se você não tiver essa preocupação, dificilmente alguém vai ter. Você sabe que você é o responsável por aquilo que acontece ou deixa de acontecer em sua vida e estou muito feliz em compartilhar esse conteúdo com você.

Como diz o título desse texto, qualificar-se é essencial. Aqueles que desistiram de continuar lendo o texto pode ser que até saibam disso, porém não fazem nada para melhorar. Só saber não é suficiente. Você é diferente. Você sabe e transforma em ação seus conhecimentos.

Qualificar-se é essencial e você já sabe disso. Talvez sua dúvida seja como buscar a melhor qualificação e em quais áreas. Fazer um curso de curta duração? Fazer uma pós graduação? Presencial ou online? Enfim, as dúvidas são variadas e é exatamente para você que trago o passo a passo a seguir:

– Passo 1: Qual seu objetivo? Antes de qualquer tomada de decisão é fundamental você saber qual o seu objetivo. Exemplos de objetivos são: ser promovido, ser mais assertivo, elaborar apresentações melhores, falar um idioma, ser um pai/mãe melhor, ser um marido/esposa melhor, etc.

– Passo 2: Agora que você sabe seu objetivo, quais habilidades ou competências você precisa desenvolver para alcança-lo? Caso você queira ser promovido, quais habilidades e competências são necessárias para você ocupar tal cargo? Vamos supor que são as seguintes: Gestão de pessoas, liderança, comunicação e inglês.

– Passo 3: Agora que você tem conhecimento das habilidades e competências necessárias para chegar no seu objetivo, vem a autoavaliação. Como eu estou nesses itens? Sugiro dar uma nota de 0 a 10 para cada habilidade ou competência que você precise desenvolver para chegar no seu objetivo. E aqui a honestidade e a sinceridade são fundamentais. Você precisa ser honesto e sincero com você mesmo ao se dar as notas. Caso contrário, dificilmente seu objetivo será alcançado.

– Passo 4: Agora que você já fez a autoavaliação, o passo seguinte é identificar qual patamar você precisa alcançar. Por exemplo: Gestão de pessoas – atualmente estou em 4 e preciso chegar em pelo menos 8. Uma folha dividida em 4 colunas pode facilitar sua organização de ideias. Coluna 1 – Habilidade e Competências, Coluna 2 – Nota Atual e Coluna 3 – Nota a alcançar. A Coluna 4 será tratada a seguir, no Passo 5.

– Passo 5: Agora que você já sabe seu objetivo, quais habilidades e competências são necessárias, fez a autoavaliação, nesse passo vamos definir as ações para sair da sua nota atual para a nota desejada. Se você entende que em Gestão de pessoas sua nota atual é 4 e você precisa chegar em pelo menos 8, como você vai evoluir esses 4 pontos? Aqui caberá a você identificar quais as melhores formas de alcançar a nota 8. As possibilidades são diversas, pode ser um curso, ler um livro, fazer uma pós, acompanhar o gestor e ver como ele faz ou muitas vezes como ele não faz. Enfim, como dito, as possibilidades são diversas e você precisa entender qual a mais viável para você. Cabe avaliar aspectos financeiros, disponibilidade de tempo, prioridades etc.

Esse passo a passo é facilmente aplicado para uma empresa que deseja crescer. Você entende a necessidade contínua de aprimoramento e agora com esses 5 passos tenho certeza que você irá alcançar seu objetivo. Entender que a paciência e a persistência serão suas maiores aliadas irá te ajudar bastante.

Você tem a força e a energia necessárias para chegar lá!

Tenha você um novo olhar par a qualificação.

Grande abraço.

Espere! Espere! não vá embora ainda!

E-Book Um Novo Olhar para a Vida Gabriel Metzler

Janeiro Branco e a Saúde Mental

Você conhece o Janeiro Branco? Cuidar da saúde é fundamental para ter qualidade de vida. E isso inclui a saúde mental. Leia agora o texto do site Psicologia para Curiosos, escrito por Priscila Figueiredo.

E aí, beleza?Janeiro Branco Depressão

Nesse texto farei algo diferente. Eu iria escrever a respeito do Janeiro Branco, porém o texto publicado pela Priscila Figueiredo, no site Psicologia para Curiosos, traz de forma precisa e resumida muita informação. Dessa forma compartilho com você essas informações tão relevantes para a sua saúde.

O Janeiro Branco é uma campanha que pretende mobilizar a sociedade em favor da saúde mental. O assunto ainda é pouco discutido pela sociedade e ainda há muito tabu em volta do tema. É preciso compreendermos o conceito de saúde mental de forma ampliada, como um estado de equilíbrio que proporciona bem-estar ao indivíduo e a sociedade como um todo. Com essa ideia em mente, o Janeiro Branco pretende colocar o tema da saúde mental ao máximo em evidência durante esse primeiro mês do ano, fazendo com que as pessoas reflitam, discutam e atualizem suas ideias sobre o que é a saúde mental na verdade.

Temos um número que cresce cada vez mais de casos de depressão, ansiedade, fobias, pânico e até agressividade e desrespeito. Isso mostra que as pessoas precisam começar a cuidar também de aspectos mentais e emocionais de sua vida. Por isso, nós psicólogos, pretendemos falar muito sobre o assunto durante esse mês e esclarecer todas as dúvidas que vocês possam vir a ter.

COMO COMEÇOU E ONDE ESTÁ HOJE

A campanha ainda é nova, começou em 2014 em Minas Gerais. Já em 2014 foram realizadas em Uberlândia palestras em diversos espaços da cidade e uma ampla divulgação do tema online.

Hoje a campanha já conta com colaboradores em diversas cidades do Brasil e cada ano mais pessoas aderem a ajudam na campanha. Em muitas cidades é possível participar de palestras ou mesas de debate sobre o assunto.

Aqui em Campinas, em Setembro de 2016, o prefeito Jonas Donizette instituiu como lei a partir da lei n° 15.303 de 23 de Setembro de 2016, o mês Janeiro Branco, dedicado a realização de ações educativas para a difusão da saúde mental.

POR QUE JANEIRO E POR QUE BRANCO?

O mês de janeiro foi escolhido a dedo para a campanha. Por alguns motivos. O primeiro é que em janeiro, as pessoas têm a sensação de um novo começo, novos planos e novo estilo de vida. Os criadores da campanha quiseram aproveitar esse clima para que as pessoas comecem o ano pensando também em sua saúde mental. Além disso, muitas pessoas passam pela melancolia de fim de ano, e janeiro é um momento em que muitas pessoas estão fragilizadas por isso, sendo esse o momento ideal para buscar ajuda profissional e começar a cuidar da mente.

Já a cor branca representa o quadro em branco, o papel em branco, no qual escreveremos ou desenharemos uma nova história da saúde mental, sem os tabus e preconceitos que a cercam.

SAÚDE MENTAL E TABU

A campanha se mostra de extrema importância não só no âmbito individual, que seria a possibilidade de as pessoas cuidarem de sua saúde mental e seu emocional, mas num sentido mais amplo também.

Infelizmente, a saúde mental ainda é cercada de muito tabu. A maioria das pessoas acha que ir ao psicólogo é “coisa de louco”. Isso é herança de uma cultura antiga e ultrapassada de higienização, onde se tirava tudo aquilo que incomodava na sociedade e isolava em manicômios. Assim, o “louco”, era visto como inferior, sem cura, que devia ser isolado e afastado para não incomodar os saudáveis. Junto com essa fama desrespeitosa, a compressão do trabalho do psicólogo também se inferiorizou, começou-se a acreditar que essa era a profissão que cuidava só dos loucos, aqueles que deviam ficar isolados.

Bom, hoje a coisa avançou muito e o tratamento da chamada “loucura” é muito mais avançado e humanizado, há ações no sentido de inserção na sociedade e não mais o contrário. Hoje, há a compreensão que o psicólogo cuida de saúde mental, da nossa parte emocional, e esse lado emocional, todos nós temos. O Psicólogo cuida daquilo que mais negligenciamos o tempo todo, aquilo que faz com que nos sintamos bem ou mal. Por isso, precisamos falar sobre saúde mental, precisamos desconstruir essa ideia de que a pessoa ir ao psicólogo significa que é louca, que precisa ter vergonha disso. Buscar ajuda psicológica não significa perder o controle de sua vida, pelo contrário, significa manter-se no controle, significa compreender que a situação te fragiliza e buscar formas de lidar com isso.

Quando falamos em saúde do corpo, todos aceitam o cuidado preventivo. Faz sentido cuidar do corpo para que ele não sofra e adoeça, não é mesmo? Para não “ficarmos na mão” no futuro. Mas, e da mente? Por que a mente só recebe cuidados quando a coisa já está “no fundo no poço”? Quando fazemos exercício para promover saúde ao nosso corpo, colocamos um bom tênis, para que nem o nosso joelho sofra com o impacto. Mas e o impacto diário em nossa vida emocional? O estresse, os problemas financeiros, familiares, as inseguranças, os medos? Por que não podemos vestir algo para amortecer esses impactos em nossa vida também? Parece mais do que justo que cuidemos daquilo que controla todo o nosso corpo, pois o corpo pode estar bem, mas se a cabeça vai mal, tudo vai mal.

Esse tabu de achar que a psicoterapia é coisa para loucos acaba afastando as pessoas de buscar ajuda psicológica, afasta-as da possibilidade de saúde mental. Quem de nós nunca ouviu alguém dizer que “não precisa” de psicólogo? Como se dissesse “eu ainda estou no controle, não preciso de alguém para dirigir minha vida”. Mas não é isso! Em uma sociedade que cada vez mais coisifica as pessoas e suas ações, todos nós precisamos nos compreender e compreender a forma como lidamos e reagimos ao mundo. Devemos promover saúde mental a cada um de nós e assim, conseguiremos uma sociedade mais saudável e consequentemente mais segura e agradável.

Nesse mês, falemos sobre psicologia, psiquiatria, saúde mental e emocional, para que muitos possam compreender essa ideia e se beneficiar de um acompanhamento adequado. Vamos mostrar que quem cuida da mente, cuida da vida!

Tenha você um novo olhar para a sua saúde mental.

Grande abraço.

Texto publicado originalmente no site Psicologia para Curiosos.

Definindo metas poderosas para 2018!

Quais são as suas metas para esse ano que está começando? Esse texto apresenta dicas simples e de fácil aplicação para você deixar suas metas ainda mais poderosas e realmente atingi-las.

 

E aí, beleza?Definindo metas poderosas para 2018

Provavelmente você definiu metas a realizar nesse ano que está começando. Mas antes, te convido a refletir sobre as suas metas estabelecidas para o ano que terminou.

– Você lembra das tuas promessas de ano novo na virada de 2016 para 2017?

–  Conseguiu realizar todas?

– E  Por que nós conseguimos algumas e outras não?

 

Algumas pessoas desejam emagrecer e  outras gostariam de ganhar mais dinheiro. Alguns querem voltar a estudar e outros, terminar os cursos que estão fazendo. Alguns querem parar de fumar. Tem quem deseje ser um pai ou mãe mais presente na vida dos filhos ou ainda, ser um marido ou esposa melhor com o parceiro.

 

E  por que nós conseguimos algumas e outras não?

Segundo Tony Robins, tem uma  explicação… A diferença entre estar interessado e empenhado… é o que nos faz agir. Você pensa…Puxa, eu queria ganhar mais dinheiro, estar mais perto dos meus filhos, mas…sempre tem uma desculpa, estou muito velho para isso, isso não é para mim.

Isso não é empenho… é só interesse.

Os objetivos são diversos e muitas vezes a correria diária, a rotina, a falta de tempo, o esquecimento e até mesmo a falta de vontade acabam influenciando negativamente para o não cumprimento das metas. Outra razão muito forte que tem impedido muitas pessoas de alcançarem suas metas é a própria definição da meta.

É importante termos metas em nossa vida, sejam elas pessoais ou profissionais. Empresas e organizações também trabalham com metas a serem cumpridas. Definir uma meta pode ser algo simples e ao mesmo tempo algo muito perigoso. Um dos fatores mais importantes para o efetivo cumprimento da meta é a forma como você define esse objetivo.

Existe uma grande diferença entre ter a intenção de algo e transformar essa intenção em meta. Ter a intenção é similar a ter um pouco de vontade de fazer e  a probabilidade disso realmente acontecer é pequena, e como consequência do não cumprimento, vem a frustração, o desânimo e a falta de confiança. Com a certeza de que você não quer experimentar nenhum desses sentimentos e sim, deseja atingir seus objetivos nesse ano, apresento uma ferramenta muito utilizada em grandes empresas para a definição de metas poderosas e efetivas.

Uma meta, é algo desafiador e ao mesmo tempo realista. Devem ser observados alguns critérios essenciais em sua elaboração. Uma das ferramentas mais efetivas para elaboração de metas é o Modelo SMART, que define de forma simples e efetiva uma série de fatores que devem ser contemplados. Cada uma das letras da palavra SMART representa um dos cinco critérios essenciais a serem observados.

S: Do inglês Specific uma meta deve ser específica sobre o que estamos querendo atingir. Ao invés de estabelecer “Vou ganhar mais dinheiro” defina “vou ganhar 20% a mais do meu salário atual”.

M: do inglês Measurable uma meta deve ser mensurável, ou seja, é necessário estabelecer parâmetros para acompanhar o desempenho. Por exemplo, em relação a meta de “ganhar 20% a mais do que ganho hoje” pode ser criada uma planilha mensal comparando o valor anterior X valor atual.

A: do inglês Achievable uma meta deve ser alcançável. Nós temos ambições e desejar obter resultados extraordinários é o que todos queremos, mas devem ser observados todos os aspectos envolvidos para que a meta seja realista. Se acabei de ser promovido ou fui contratado há pouco tempo, dificilmente atingirei meu objetivo de ganhar 20% a mais do que ganho hoje no meu atual emprego. Você pode pensar em reduzir esse percentual ou buscar alternativas de complementação de renda para atingir a sua meta. Caso você não identifique formas de complementar sua renda e não aceite diminuir o percentual, manter a meta original será apenas uma fonte de frustrações.

R: do inglês Relevant uma meta deve ser relevante. Você precisa refletir previamente qual o benefício que terá ao atingir a meta. Não faz sentido estabelecer uma meta que não lhe trará nenhum tipo de satisfação ou resultado prático

T: do inglês Time refere-se ao tempo em que você pretende atingir sua meta. Estabelecer um prazo é fundamental, o cronograma é imprescindível para que você consiga entre outras coisas definir prioridades e ações. Uma meta sem prazo não tem sentido, além disso, é grande a probabilidade dela não ser levada a sério.

O Modelo SMART é uma excelente ferramenta para você transformar seus objetivos em metas específicas de forma rápida e simples. Seguir esses passos vai te ajudar muito a atingir os seus objetivos. Outros exemplos de metas SMART são: economizar 10% dos meus ganhos até novembro/2018, emagrecer 12 kg até setembro/2018 etc.

Tenha você um novo olhar para as suas metas.

Grande abraço.

2018 repleto de realizações!

Quantas vezes você já ouviu ou vai ouvir essa frase? E, caso você realmente queira um 2018 repleto de realizações, você sabe o que fazer? Neste texto trago um modelo poderoso para te ajudar a ter um 2018 com realizações.

E aí, beleza?

Você sabe onde está e onde você quer chegar?2018 realizações

Para ter realizações na vida, devemos saber as respostas para essa duas questão. Se não sabemos onde estamos, como saberemos traçar o caminho até onde queremos chegar?

Inspirado nos ensinamentos dos amigos César e Ronald, sócios da Sociedade Paranaense de Coaching (SPARC), trago esse texto para você.

A grande maioria das pessoas busca a felicidade, só que muitas vezes, não percebemos que ela depende de vários fatores: a maneira como nos vemos, como são nossos relacionamentos, como lidamos com nossas expectativas, carreira profissional e também como nos portamos diante do mundo.

É um desafio fazer essa avaliação. Dificilmente nós paramos para analisar a nossa vida, principalmente sob vários aspectos. Normalmente essa análise ocorre de forma pontual. Avaliamos um aspecto e deixamos em segundo plano os demais. Porém, um aspecto afeta os outros, e fazer essa análise de forma isolada, pode comprometer o resultado da avaliação.

A felicidade está ligada ao equilíbrio entre os aspectos relevantes da vida. Em algumas situações, acreditamos estar com problemas no trabalho, e a verdadeira causa está dentro de casa. O contrário também acontece.

Realizar uma avaliação que permite uma visão ampla e abrangente da nossa vida em todos os aspectos que impactam na nossa busca pela felicidade, pode gerar insights e reflexões, , auxiliando você definir um planejamento e ações para mudar o rumo de coisas que o estejam anulando, impedindo seu crescimento pessoal ou profissional, possibilitando que cada pessoa encontre seu próprio caminho para uma vida mais equilibrada, plena e feliz.

Eu te convido a refletir sobre quatro aspectos fundamentais de sua vida:

Relacionamentos, Qualidade de Vida, Aspectos Pessoais e Aspectos Profissionais.

Quando fala-se em Relacionamentos, algumas questões irão te ajudar a refletir acerca desse tópico:

Como são suas atitudes com as pessoas próximas?

Como você demonstra seus sentimentos?

Como você interage com os familiares?

Como é o diálogo e como os conflitos são resolvidos?

O segundo aspecto fundamental é a Qualidade de Vida. Algumas questões para te ajudar a refletir sobre esse item são:

Você está dedicando o tempo necessário para as coisas que te dão prazer?

Você está se divertindo como gostaria?

Você está dedicando o tempo necessário para si mesmo e para as pessoas que são importantes para você?

Como está a sua disposição e energia para as atividades diárias?

O terceiro tópico a ser avaliado envolve os Aspectos Pessoais. Algumas questões para te ajudar a refletir são:

Como está sua saúde física e mental?

Como está seu desenvolvimento intelectual?

Você tem conseguido se manter relaxado ou se o nível de estresse está elevado?

Como está a espiritualidade na sua vida?

E o quarto tópico a ser avaliado envolve os Aspectos Profissionais. As questões a seguir te ajudarão a refletir, são elas:

Você está satisfeito com o que faz atualmente?

Os seus rendimentos financeiros atendem suas necessidades e expectativas ou isso tem sido um problema constante na sua vida?

O que você faz contribui para a vida de outras pessoas?

São diversas questões para te ajudar a entender onde você está. Uma dica para facilitar a sua avaliação é:

Pegue uma folha de papel e  trace duas linhas de cima até na parte de baixo da folha.

Na primeira coluna, responda as questões acima, pensando como você está hoje. Atribua uma nota de 0 a 10 em cada item.

Na coluna ao lado, seguindo a mesma condição, coloque uma nota de 0 a 10 indicando como você gostaria que aquele tópico estivesse.

E por último, na terceira coluna, ao lado de cada item, defina o que você vai fazer para sair da sua nota atual para a nota que você quer chegar.

 

Por exemplo, na Qualidade de Vida, na questão Como está a sua disposição e energia para as atividades diárias? Temos o seguinte:

Coluna 1 (Como estou hoje) – 4

Coluna 2 (Como eu gostaria) – 8

Coluna 3 (o que vou fazer para ir de 4 para 8) – Melhorar alimentação e praticar exercícios 3 vezes por semana

Seja muito sincero nas respostas. Afinal, você estará sendo sincero com você mesmo.

Caso você realmente queira um 2018 repleto de realizações, comece hoje mesmo!

Tenha um novo olhar para a sua vida.

E eu desejo a você um 2018 repleto de realizações, com muita saúde e sucesso!

Grande abraço e até o ano que vem!

03 de dezembro – Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

Estabelecido pela ONU, o 03 de dezembro é o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. Você sabe por que existe esse dia?

Dia Internacional da pessoa com deficiênciaE aí, beleza?

Desde 1992 a ONU estabeleceu o 03 de dezembro como o dia internacional das pessoas com deficiência, com o objetivo de promover uma maior compreensão dos assuntos ligados à deficiência e para mobilizar a defesa da dignidade, dos direitos e o bem estar das pessoas. As Nações Unidas procuram também aumentar a consciência dos benefícios trazidos pela integração das pessoas com deficiência em cada aspecto da vida política, social, econômica e cultural. A cada ano o tema deste dia é baseado no objetivo do exercício pleno dos direitos humanos e da participação na sociedade, estabelecido pelo Programa Mundial de Ação a respeito das pessoas com deficiência.

Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, com dados de 2011, 1 bilhão de pessoas vivem com alguma deficiência – isso significa, aproximadamente,  uma em cada sete pessoas no mundo. As pessoas com deficiência são a maior minoria do mundo. E infelizmente esse número está aumentando, seja pelo crescimento da população, maior expectativa de vida, violência e acidentes.

Muitas vezes, esses problemas são tratados pelo restante da população como um motivo para a discriminação, o que dificulta uma vida de qualidade e digna para as pessoas com algum tipo de deficiência.

O Brasil é um dos países signatários da Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU e, baseado nesse documento, foi elaborada e implementada a Lei Brasileira de Inclusão, Lei nº 13.146/2015, que traz:

Art. 1º  É  instituída a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da  Pessoa com Deficiência), destinada a assegurar e a promover, em condições de  igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com  deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania.

Segundo essa mesma Lei, é considerada pessoa com deficiência aquela que tem impedimento de longo prazo  de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com  uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na  sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

De uma maneira geral, pessoas com deficiência precisam de uma maior atenção por parte dos governantes, principalmente no que diz respeito à acessibilidade e inclusão na sociedade. Segundo a ONU, pessoas com deficiência são mais vulneráveis a abusos e frequentam a escola por menos tempo que as pessoas sem deficiência.

Também é importante destacar que a maioria dos deficientes não consegue entrar no mercado de trabalho principalmente porque alguns empregadores acreditam que essas pessoas não são capazes de realizar o trabalho com eficiência, além de imaginarem que a construção de um ambiente acessível é bastante cara. Sendo assim, está claro que é fundamental que exista uma conscientização da população para diminuir a discriminação e a falta de oportunidades às pessoas com deficiência. São muitos mitos e tabus que com informação básica seriam derrubados, gerando mais condições justas a todos.

Neste sentido, como um dos princípios básicos dos Direitos Humanos, a acessibilidade se insere no contexto mais amplo da promoção da igualdade. A ONU busca enfatizar os significativos benefícios que a acessibilidade pode trazer, tanto para pessoas com deficiência quanto para a sociedade, e a divulgação desse fato entre os governos, as empresas e o público em geral, principalmente a Acessibilidade Atitudinal.

É muito importante que todos tenham em mente que as pessoas com deficiência não são menos capacitadas e, assim como todas as outras, possuem direitos e deveres assegurados.

Entre os principais obstáculos para as pessoas com deficiência estão o estigma e a discriminação, a falta de tratamento de saúde e de serviços de reabilitação adequados, e a inacessibilidade. Como resultado dessa exclusão, as pessoas com deficiência têm menor qualidade na saúde, baixos avanços educacionais e menos oportunidades econômicas do que as pessoas sem deficiência.

O acesso às tecnologias de informação e de comunicação cria oportunidades a todos na sociedade, mas principalmente para pessoas com deficiência, pois nesse meio diminuem as barreiras sociais geradas pelo preconceito, pela infraestrutura, e pelos formatos inacessíveis que impedem a participação. Quando disponível a todos, tecnologias da informação permitem que as pessoas alcancem seu potencial pleno, e permitem que pessoas com deficiência contribuam para o desenvolvimento da sociedade.

No primeiro encontro mundial sobre a sociedade da informação, em 2003, os governos expressaram seu compromisso de construir uma sociedade da informação inclusiva, centrada na pessoa e voltada para o desenvolvimento, onde todos pudessem criar, acessar, utilizar e compartilhar informação e conhecimento. Apesar desta visão, muitas pessoas com deficiência permanecem impossibilitadas de utilizar os recursos da Internet plenamente, já que boa parte dos sites’ continuam inacessíveis a pessoas com algum tipo de deficiência visual, pois navegação é altamente dependente do uso do mouse.

Fazer tecnologias de informação acessíveis a todos não é somente uma matéria de direitos humanos, pois também gera bons negócios. Os estudos sugerem que os sites acessíveis aparecem melhor cotados nos rankings dos motores de busca e permitem também a empresas o acesso a um maior banco de dados de clientes.

Para finalizar, proponho um rápido exercício para você. São apenas três passos simples. São eles:

  • Passo 1: Feche os olhos
  • Passo 2: Com os olhos fechados, vá até a sala da sua casa, pegue um DVD e o coloque no aparelho para assistir
  • Passo 3: Ainda com os olhos fechados, pegue o controle remoto e vá até as configurações de áudio e altere o idioma

Assim que você terminar, me envie um e-mail no contato@gabrielmetzler.com contando como foi essa experiência.

São estimados 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual no Brasil. Será que a acessibilidade pode gerar novos negócios para sua empresa? Já pensou em aumentar o seu público consumidor?

Além de respeitar os Direitos Humanos, você estará trazendo dignidade e proporcionando novas oportunidades a esse novo público. Esse é só um pequeno exemplo, de tantos outros que eu poderia relacionar aqui.

Tenha você um novo olhar para as pessoas com deficiência.

Grande Abraço!

O que a Água e a Internet têm em comum?

Pode parecer estranho, mas a Água e a Internet estão ligadas. Quando bebemos água, escolhemos para que seja limpa, filtrada etc. e quando bebemos ou ingerimos conteúdos e informações da Internet, será que temos escolhido bem?

E aí, beleza?a-agua-e-a-internet

Cerca de 70% do nosso corpo é água e aproximadamente 70% da superfície da Terra também é água. Nós precisamos de água todos os dias para sobreviver e buscamos ingerir água de boa qualidade. Para nos desenvolvermos, precisamos de conteúdo e informações. Será que temos filtrado o que estamos consumindo?

Quando se diz que o nosso Planeta deveria se chamar Água ao invés de Terra é porque a maioria da superfície é formada por água. Porém 97% desse total é água dos mares e oceanos, 2% estão congelados e apenas 1% está nos rios e lagos, exatamente de onde é retirada a água que consumimos e utilizamos em nossas atividades diárias. E como estão os rios e lagos da cidade que você mora?

Muitos de nós crescemos ouvindo que no Brasil nunca faltaria água para o nosso consumo, pois nós temos reservas subterrâneas, grandes rios e um clima favorável. Graças a muito esforço do Ser Humano, nossas reservas estão cada vez mais comprometidas, o desperdício de água tratada é enorme e o clima já não se mostra tão favorável assim.

Provavelmente você é uma pessoa que gosta de se desenvolver, busca informação e conhecimento pra crescer. E como foi citada a questão da água ser a maioria da superfície do nosso Planeta, mas apenas 1% dela é utilizável para o consumo, atualmente existe muita informação circulando na Internet.

Assim como você seleciona bem a água que vai consumir, você também seleciona o conteúdo que vai consumir?

Hoje temos tanta informação circulando,  que às vezes ficamos confusos. É televisão, e-mail, celular, rede social que a gente fica até perdido. E no meio de tanta coisa, tem informação boa e tem informação ruim.

Hoje são mais de 7,4 bilhões de pessoas na Terra e dessas, cerca de 3,77 bilhões acessam a Internet. Aproximadamente 2,8 bilhões navegam nas redes sociais. Pesquisando em revistas especializadas encontrei as seguintes informações referentes ao que acontece na Internet em apenas 60 segundos. É difícil de acreditar, mas é isso mesmo que em apenas 1 minuto em 2017 está acontecendo:

– São enviados mais de 150 milhões de e-mails

– No Google: São feitas 3,5 milhões de pesquisas

– No Facebook: São 900 mil pessoas conectadas

– No Instagram: Mais de 46 mil fotos postadas

– No Youtube: São assistidas 4,1 milhões de horas de vídeos

O que você me diz desses números? Ficou assustado? Eu fiquei. Enquanto você está lendo esse texto, tudo isso está acontecendo.

É realmente muita coisa, em muitos idiomas, sobre inúmeros assuntos e interesses. É impossível acessar tudo isso, seria como se o Rio Amazonas estivesse passando e você tentasse beber toda aquela água em um minuto. Dentro de todo esse vasto conteúdo, existe muita informação a ser aproveitada, porém ao mesmo tempo existe muito conteúdo sem qualidade.

Três dicas que eu deixo para aproveitar melhor o seu tempo e consumir material de qualidade são:

– Saber o que você quer:
É muito importante ter claro o que você está procurando e o que você deseja consumir de conteúdo. Tendo em vista os números apresentados acima, caso você não saiba, talvez se perca em meio a tantas informações. Tenha muito cuidado com as distrações que vão aparecer pelo caminho.

– Confiabilidade da informação:
Existem bilhões de sites e dentro de cada um deles informações diferentes. Muitas pessoas escrevem e publicam o que bem entendem e cabe a nós, usuários da grande rede, filtrar o que é conteúdo confiável e o que são informações falsas. Busque sempre materiais de fontes confiáveis para impulsionar o seu desenvolvimento. Procure em Universidades, sites de publicações especializadas, órgãos do Governo, etc.

– Duplo Check:
Fazer uma verificação se aquela informação é realmente verdadeira também é importante. Muitas vezes um site faz menção a uma reportagem, estudo ou estatística de um terceiro. Você entrar na página do responsável pela informação e verificar se é realmente aquilo vai te trazer segurança acerca daqueles números ou dados. Se o site do Joãozinho diz que segundo o Ministério da Saúde são X pessoas com cegueira, antes de utilizar a informação e assumir aquilo como verdade apenas por ele ter citado uma fonte relativamente confiável, o recomendado é entrar no próprio site do Ministério da Saúde e verificar na fonte das informações a veracidade dos dados.

A Internet é um grande oceano de informações e conteúdos. Procure conhecer os locais por onde você vai navegar para não ser surpreendido por tempestades e correntes contrárias. O Capitão de um navio busca mapas e rotas de confiança para chegar ao seu destino com segurança. Sabendo onde você quer chegar e tendo informações confiáveis, o seu desenvolvimento será muito melhor.

Tenha você também um novo olhar para as informações e conteúdos da Internet.

Grande abraço.

Paciência…

Paciência é uma das grandes virtudes do Ser Humano e tem ficado de lado em muitas situações. Como está a sua?

E aí, beleza?Paciência Gabriel Metzler

Cobrança no trabalho, contas, trânsito, insegurança são apenas alguns fatores que tem tirado a paciência de muita gente. Normalmente a falta de paciência reflete nos relacionamentos com as pessoas que gostamos. Neste texto serão abordados algumas questões importantes ligadas a paciência, uma das grandes virtudes do Ser Humano.

A Paciência e o autocontrole andam de mãos dadas.

Ter paciência é controlar as emoções e manter-se calmo diante de situações que gerem incômodos. A paciência também é exercitada quando é necessário aguardar por algo, seja uma resposta ou uma entrega, enfim, fatores que não dependem da sua vontade ou ação.

A paciência é facilmente percebida em pessoas maduras emocionalmente. Paciência significa não agir com pressa, ser atento e cuidadoso com o que se está fazendo; saber ouvir, ver, sentir e falar. Só que paciência tem limite!

Confesso que eu não era muito paciente, só que a vida foi me ensinando que a paciência nos proporciona muitas vantagens e vitórias. Quando sofri o acidente, em 1998, estava sendo disputada a Copa do Mundo da França e lembro que, ainda no Hospital, um médico me falou que eu logo voltaria a enxergar. Eu no auge dos meus 15 anos, e como você sabe, adolescente tem muita paciência, pensei que em poucos dias estaria vendo tudo outra vez e poderia acompanhar os jogos da Copa.

Logo na primeira consulta com o oftalmologista já percebi que não seria bem assim e foi ali que comecei a aprender a ter paciência. Foram três cirurgias em um curto período de tempo e após cada uma delas, devido a técnica usada, eu precisava ficar 10 dias de bruços. Isso mesmo, 10 dias de bruços… Foram dois meses até começar a enxergar vultos.

Lembro claramente uma frase que o Dr. Carlos Augusto Moreira Jr., meu oftalmologista e amigo, falou: “Gabriel, temos que dar tempo ao tempo” e ela parece simples, porém traz um significado enorme quando se trata de paciência.

Conforme o tempo foi passando, fui desenvolvendo a paciência. Hoje já estou bem melhor que antes, e ainda longe do ideal.

Atualmente, após a perda da visão, tenho exercitado e muito a paciência. Em alguns casos, situações simples do dia-a-dia exigem um esforço enorme para manter a calma. Podem ser situações em que estou sozinho, fazendo atividades e que encontro dificuldades por não enxergar ou situações em que dependo da ajuda de outras pessoas para fazer.

E você, sabe como está a sua paciência?

Muitas vezes, coisas simples nos tiram do sério. O calor, o telefone que não funciona, uma fechada no trânsito, etc. Quantas mortes tem ocorrido por discussões que começaram por uma questão banal?

O senso de urgência, a necessidade neurótica de estar sempre certo, de querer as coisas sempre do nosso jeito vão gastando nossa reserva de paciência. Junto com esse desgaste, vem as consequências, e normalmente não são boas para o nosso corpo. Liberação de Cortisol, ansiedade, raiva, dor de cabeça, pressão alta são apenas algumas das terríveis consequências que a falta de paciência nos traz.

Três dicas que eu deixo aqui, para você aplicar na sua vida e ter mais paciência são:

– Você fez a sua parte. Em muitas situações nós dependemos dos outros. Nós temos que fazer a nossa parte e esperar que os outros façam. Não precisa esperar de braços cruzados. Seja em casa ou no trabalho, orientar como fazer pode evitar muito desgaste. Ninguém dá o que não tem. Assim como você não gosta de ser cobrado por algo que você não sabe fazer, não faça isso com os outros. Caso a pessoa não saiba fazer, explique como fazer, e faça isso calmamente. Sob stress ou nervosa, a pessoa certamente não produzirá 100%.

– Você quer ter razão ou ser feliz? Muita gente quer sempre ter razão. Em algumas situações aceite a opinião dos outros. Isso não vai fazer de você menos competente ou capaz.

– A persistência é aliada da paciência. Como no caso que falei, da minha recuperação das cirurgias, a paciência e a persistência caminharam sempre juntas. Eu sabia claramente onde queria chegar, e por mais difícil que fosse ficar tanto tempo de bruços, exercitei minha paciência junto com a persistência e consegui alcançar meu objetivo.

A paciência é uma virtude, e exige muito treino para ser desenvolvida. Passamos por desafios e provas diárias e se você encarar essas situações de forma positiva e enxergá-las como oportunidades para praticar, logo a sua paciência estará bem desenvolvida.

Tenha você também um novo olhar para a paciência.

Grande abraço!

Médicos, muito obrigado!

Médicos, profissionais tão importantes que comemoram seu dia em 18 de outubro e fazem muito por nós.

E aí, beleza?medico-obrigado-2

A última semana foi marcada por duas datas importantes. Dia 15 de outubro é o Dia do Professor e 18 de outubro é o Dia do Médico. Duas profissões valorosas e presentes na vida de quase todos.

O texto da semana passada homenageou os Professores e essa semana será a vez de falar dos Médicos. Essa data foi escolhida em referência ao Dia de São Lucas, o santo padroeiro da Medicina.

O nosso primeiro contato com um médico, normalmente, ocorre antes mesmo do nascimento, quando a mãe está fazendo seu pré-natal. É possível dizer que eles nos acompanham por toda a vida.

Atualmente os médicos tem se preocupado mais com a medicina preventiva, pois conhecem o nosso corpo e sabem que hábitos e atitudes podem nos trazer benefícios, tanto a curto quanto a longo prazo. Porém, mesmo se preocupando mais com a prevenção, eles continuam atuando, e muito, nos problemas e doenças já presentes.

Confesso que eu sou suspeito para falar desses profissionais. Tem uma pessoa que eu amo muito e é médica. Estou falando da minha tia, que é quase uma segunda mãe e digo isso não só pela aparência, afinal elas são irmãs gêmeas, mas sim por ser muito próximo a ela.

Desde muito pequeno fui acostumado ao ambiente hospitalar e desenvolvi um carinho e admiração muito grande pelos profissionais dessa área. Tenho em minha tia um exemplo de profissional, além de muito competente, esforçada e dedicada, é fácil perceber o amor que ela tem pelo que faz e o cuidado que trata seus pacientes. Fala-se muito em humanização da medicina, e afirmo que ela é um ótimo exemplo disso.

Sei que, assim como em todas as outras profissões, existem ótimos médicos, bons, regulares e os ruins. Mas a grande maioria está enquadrada nos ótimos e bons. Infelizmente as notícias fazem muito alarde em cima dos ruins, porém milhares de vidas são salvas todos os dias e são esses profissionais que merecem a homenagem.

Como falado, nosso contato com os médicos tem início antes mesmo do nosso nascimento. Hoje em dia, são raros os que nascem sem a atuação dele, então quase todos nós e nossos filhos estão aqui pelas mãos de um médico. Na infância são os pediatras que cuidam da nossa saúde, além de outros segmentos da medicina como a ortopedia, quando levamos aqueles tombos. Oftalmologista, otorrinolaringologista, pneumologista  e outros “istas” vão nos acompanhando ao longo da vida nas diversas especialidades da medicina. Temos também os pesquisadores que vão trabalhar desenvolvendo novas tecnologias para buscar curas de novas doenças, ou tratamentos alternativos.

Desde criança tive proximidade com médicos, mas foi depois do acidente, em 1998, que o contato aumentou. Foram pelo menos 10 grandes cirurgias, principalmente no olho e ouvidos. Inúmeras consultas e diversos tratamentos. Foram muitos médicos que me atenderam e todos são muito importantes e me ajudaram a chegar até aqui. O texto ficaria muito longo se eu resolvesse colocar o nome de todos aqui, e por isso escolhi dois profissionais para representar todos vocês que foram e são muito importantes e valiosos para mim. A primeira é a Dra. Cristina Metzler e o segundo é o Dr. Carlos Augusto Moreira Júnior.

Minha tia, quase mãe, e meu oftalmologista e amigo que me acompanha desde 1998. Agradeço a vocês e digo, sintam-se honrados por serem as pessoas que escolhi para representar tantos outros profissionais. E quando digo, sintam-se honrados, não é por que eu os ter escolhido, mas sim porque vocês estão representando fantásticos profissionais que me atenderam e imagino que vocês sentiriam orgulho por estarem os representando. Profissionais de enorme competência e amor a medicina, assim como vocês.

Médicos, parabéns pelo seu dia. Vocês fazem muito por nós. O paciente não escolhe a hora de ficar doente e, independente do dia e hora, o médico vai estar lá pronto para nos atender e ajudar.

Tenha você também um novo olhar para os Médicos.

Para finalizar, deixo aqui um texto retirado do site do Hospital Pequeno Príncipe, de Curitiba, postado em homenagem aos médicos.

“Nosso dia é todo dia, toda hora, em qualquer hora. É na manhãzinha de domingo quando a família ainda dorme, no almoço planejado com amigos, no cinema combinado com a filha e nos inúmeros aniversários e casamentos perdidos, muitas vezes já pronta para sair. Mas, apesar do um minuto de sentimento de perda pelo momento, ao bater a porta de casa, a cabeça já está em quem precisa de nós. Tive muitos companheiros desconhecidos de Natal e Carnaval a quem agradeço a conversa e a oportunidade de conhecer muito de suas vidas, sim, porque nesses momentos em que o hospital se silencia, ouvimos mais alto os corações, inclusive o nosso. Obrigado aos pais que confiaram seus filhos e aos familiares que acreditaram, junto comigo, que conseguiríamos o melhor para eles, o melhor de nós. Ser médica é difícil pelo preparo constante, exaustivo pela jornada incansável e triste pelas perdas no caminho, mas a cada sorriso de alívio, a cada resultado positivo, a cada família confortada, o sentimento recebido vale cada minuto vivido! Tem sido uma jornada maravilhosa! Parabéns a todos os colegas que sabem o que escolheram e lutam pela nossa profissão! Medicina, amor que não se mede”.

Grande abraço.

Professor, Parabéns pelo seu dia!

Professor, parabéns pelo seu dia, mas Dia do Professor deveria ser todo dia.  Pessoas que dividem o seu conhecimento e que devem e merecem ser mais valorizadas.

 

Dia do professor

Parabéns Professor

E aí, beleza?

No último domingo, 15 de outubro, foi celebrado o Dia do Professor. Pessoas tão importantes na formação de todos nós e que, infelizmente, hoje em dia são tão desvalorizadas.

Segundo o Portal UOL, A origem do dia do professor se deve ao fato de, em uma data de 15 de outubro, o Imperador D. Pedro I ter instituído um decreto que criou o Ensino Elementar no Brasil, em 1827, com a criação das escolas de primeiras letras em todos os vilarejos e cidades do país. Além disso, o decreto estabeleceu a regulamentação dos conteúdos a serem ministrados e as condições trabalhistas dos professores.

Tempos depois, mais precisamente no ano de 1947, o professor paulista Salomão Becker, em conjunto com três outros profissionais da área, teve a ideia de criar nessa data um dia de confraternização em homenagem aos professores e também em razão da necessidade de uma pausa no segundo semestre, até então muito sobrecarregado de aulas.

Mais tarde, em 1963, a data foi oficializada pela lei Decreto Federal 52.682, que, em seu Art. 3º, diz que “para comemorar condignamente o dia do professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo delas participar os alunos e as famílias”.

Conversando com meus avós a respeito da educação que eles recebiam na escola, existia um respeito enorme, as vezes até medo do professor. Com meus pais mantinha-se o respeito e um pouco de medo. Quando eu estava na escola, Ensino Fundamental e Ensino Médio, o respeito ao Professor era grande. Brincadeiras e um pouco de bagunça, conversas e risadas faziam parte também. Existiam casos de desrespeito, mas nada comparado ao que tem sido noticiado hoje em dia. Lembro que quando o professor chamava a atenção da sala, o silêncio imperava no ambiente.

As metodologias de ensino sofreram alterações. Hoje a educação é mais participativa. Antigamente o aluno não questionava o professor, apenas concordava com ele. Hoje, o aluno também tem voz e pode argumentar com o professor a respeito de temas que estão sendo ensinados.

Afirmar que antigamente era melhor ou que hoje é melhor é muito difícil e já tem muitas pessoas fazendo isso. Esse não é o meu propósito aqui. A questão neste texto é que antigamente havia muito mais respeito e valorização da profissão de Professor do que existe hoje.

Quando eu era criança, minha mãe foi professora em escolas, e digo em escolas porque ela continua sendo uma grande professora para mim, e lembro dela comentar de alunos um pouco mais difíceis, porém não me recordo de casos de desrespeito ou ameaças. Porém o que temos visto nos últimos anos é bem diferente. São inúmeros casos de desrespeito e ameaças, de alunos a professores e também de professores a alunos. E em casos extremos, essas ameaças acabam se tornando agressões.

Eu entendo que a base para o desenvolvimento sustentável de um país está diretamente ligada a qualidade da sua educação. Temos como exemplo famoso a Coréia do Sul, que diferente do Brasil, vem investindo fortemente na educação a partir da década de 1970 e atualmente colhe os frutos do maravilhoso investimento.

O Brasil investe muito, mas em publicidade e não efetivamente na educação. Com o famoso slogan lançado há alguns anos, Brasil, Pátria Educadora, foram investidos milhões em comerciais na televisão, rádios, jornais e internet e o que realmente foi feito para melhorar as condições dos professores e alunos? O que temos de resultado efetivo na valorização dos mestres?

Professores nos ensinam muito, participam da nossa vida desde a nossa infância, quando entramos na escola, e nos acompanham até nos tornarmos adultos. Nos ensinam muito mais que conteúdos formais. Muitas vezes são guias, conselheiros, amigos. São verdadeiros Mestres. Assim como em qualquer profissão, existem os ótimos professores, os bons, os medianos e os ruins, que felizmente são a minoria.

Tenho professores na família, amigos que se tornaram professores e alguns professores que se tornaram meus amigos. Uma das profissões mais bonitas que conheço, que merece e deve ser mais valorizada, tanto financeiramente quanto em respeito.

O número de pessoas que desejam se tornar professores diminui muito e isso é reflexo direto da desvalorização. Falta respeito das autoridades com esses profissionais tão importantes. Os salários são muito baixos quando comparados a outras profissões, por exemplo, com as próprias autoridades. Me diga, quem é mais importante para a construção de um país melhor, os Professores ou as autoridades?

Talvez sua resposta seja a mesma que a minha para essa questão e por isso você também entenda que os Professores merecem melhores salários, mais tempo e incentivos para se preparar e muito mais respeito.

Tenha você também um novo olhar para os Professores.

Grande abraço.

Deu tudo errado!

Deu tudo errado quando eu fui fazer aquilo. Você já falou isso alguma vez? Às vezes pensamos dessa forma, e focamos apenas no lado negativo. Confira como ter um novo olhar para o possível fracasso.

E aí, beleza?Deu tudo errado

Em algumas ocasiões nos desanimamos e chegamos, em certas oportunidades, a pensar que deu tudo errado e com vontade de desistir. Ficamos inseguros, com muitas dúvidas e sem saber o que fazer. Eu já passei por isso, e talvez você também já tenha vivido situações assim, certo?

E quando pensamos ou falamos que deu tudo errado. Será que deu mesmo? Muitas invenções que usamos no nosso dia-a-dia resultaram de um possível erro ou fracasso.

Já dizia Louis Pasteur, inventor do processo da pasteurização e da vacina antirrábica, “o acaso só favorece a mente preparada”. Essa citação aparece na página da Wikipedia sobre “serendipidade”, uma palavra inventada por Horace Walpole que indica uma descoberta feliz, que você não estava procurando.

O Raio-X, a borracha como a dos pneus, o fósforo, a anestesia, a penicilina são alguns exemplos de invenções que surgiram após um erro ou um descuido. O famoso Post-it, tão presente nos escritórios também surgiu por um erro. A intenção era inventar uma super cola e surgiu uma cola fraca, que se solta facilmente. Um erro que nos ajuda muito e já rendeu e ainda rende milhões e mais milhões para a fabricante.

E você, como tem lidado com os seus possíveis erros ou fracassos?

A palavra fracasso, segundo o Dicionário Michaelis significa a Falta de êxito ou vitória; derrota. Fracassar é você Não conseguir êxito desejado; ser malsucedido. E com base nessa definição, se você tentar algo e  não conseguir, será que está tudo perdido? Será mesmo que deu tudo errado?

Muitos não gostam de dizer que fracassaram. Adotam a seguinte fala: Ou deu certo ou foi um aprendizado. E como as palavras são muito poderosas, o que você entende que pode te trazer melhores resultados?

Como estávamos falando, você tentou algo e não obteve êxito. Qual palavra é mais poderosa e te ajudará mais a reverter a situação?

  1. Fracasso
  2. Aprendizado

Eu fico com a alternativa b), e você?

Provavelmente, quando você se propõe a fazer algo, a sua intenção é acertar, fazer da forma correta e ser bem sucedido. Porém, nem sempre é possível atingir tal resultado e quando não o alcançamos, o que podemos fazer para termos um novo olhar para a situação?

Aqui deixo duas preciosas dicas, que me ajudam muito a enxergar de outra forma os acontecimentos:

– A primeira delas é não pensar que deu tudo errado porque você não chegou ao resultado pretendido. Como falamos antes, as palavras são muito poderosas e quando você diz que deu TUDO errado, você coloca toda sua atenção e foco no problema, no erro ou possível fracasso. Ao invés de usar a palavra TUDO, use a palavra ALGO. São apenas três letras que foram alteradas e a força e o impacto que isso pode ter na sua vida são enormes. Tirar o foco do erro é fundamental para continuar sua caminhada vitoriosa.

– E a segunda dica é você buscar o aprendizado que a situação trouxe para você. Você fez o seu melhor, se esforçou e se dedicou e ainda assim o resultado não veio, busque entender o que deu errado. É muito provável que você tenha acertado bastante e errado pouco. Valorize os acertos e entenda o erro para que em uma próxima oportunidade, esse erro não se repita e você alcance seu objetivo e conquiste suas vitórias.

Muitas histórias nos mostram que em oportunidades entendidas como fracassos, encontrou-se o sucesso tendo um novo olhar.

Lembre-se, se deu ALGO errado, busque enxergar as virtudes e aprender com as situações que você vivencia.

Grande abraço.