2018 repleto de realizações!

Quantas vezes você já ouviu ou vai ouvir essa frase? E, caso você realmente queira um 2018 repleto de realizações, você sabe o que fazer? Neste texto trago um modelo poderoso para te ajudar a ter um 2018 com realizações.

E aí, beleza?

Você sabe onde está e onde você quer chegar?2018 realizações

Para ter realizações na vida, devemos saber as respostas para essa duas questão. Se não sabemos onde estamos, como saberemos traçar o caminho até onde queremos chegar?

Inspirado nos ensinamentos dos amigos César e Ronald, sócios da Sociedade Paranaense de Coaching (SPARC), trago esse texto para você.

A grande maioria das pessoas busca a felicidade, só que muitas vezes, não percebemos que ela depende de vários fatores: a maneira como nos vemos, como são nossos relacionamentos, como lidamos com nossas expectativas, carreira profissional e também como nos portamos diante do mundo.

É um desafio fazer essa avaliação. Dificilmente nós paramos para analisar a nossa vida, principalmente sob vários aspectos. Normalmente essa análise ocorre de forma pontual. Avaliamos um aspecto e deixamos em segundo plano os demais. Porém, um aspecto afeta os outros, e fazer essa análise de forma isolada, pode comprometer o resultado da avaliação.

A felicidade está ligada ao equilíbrio entre os aspectos relevantes da vida. Em algumas situações, acreditamos estar com problemas no trabalho, e a verdadeira causa está dentro de casa. O contrário também acontece.

Realizar uma avaliação que permite uma visão ampla e abrangente da nossa vida em todos os aspectos que impactam na nossa busca pela felicidade, pode gerar insights e reflexões, , auxiliando você definir um planejamento e ações para mudar o rumo de coisas que o estejam anulando, impedindo seu crescimento pessoal ou profissional, possibilitando que cada pessoa encontre seu próprio caminho para uma vida mais equilibrada, plena e feliz.

Eu te convido a refletir sobre quatro aspectos fundamentais de sua vida:

Relacionamentos, Qualidade de Vida, Aspectos Pessoais e Aspectos Profissionais.

Quando fala-se em Relacionamentos, algumas questões irão te ajudar a refletir acerca desse tópico:

Como são suas atitudes com as pessoas próximas?

Como você demonstra seus sentimentos?

Como você interage com os familiares?

Como é o diálogo e como os conflitos são resolvidos?

O segundo aspecto fundamental é a Qualidade de Vida. Algumas questões para te ajudar a refletir sobre esse item são:

Você está dedicando o tempo necessário para as coisas que te dão prazer?

Você está se divertindo como gostaria?

Você está dedicando o tempo necessário para si mesmo e para as pessoas que são importantes para você?

Como está a sua disposição e energia para as atividades diárias?

O terceiro tópico a ser avaliado envolve os Aspectos Pessoais. Algumas questões para te ajudar a refletir são:

Como está sua saúde física e mental?

Como está seu desenvolvimento intelectual?

Você tem conseguido se manter relaxado ou se o nível de estresse está elevado?

Como está a espiritualidade na sua vida?

E o quarto tópico a ser avaliado envolve os Aspectos Profissionais. As questões a seguir te ajudarão a refletir, são elas:

Você está satisfeito com o que faz atualmente?

Os seus rendimentos financeiros atendem suas necessidades e expectativas ou isso tem sido um problema constante na sua vida?

O que você faz contribui para a vida de outras pessoas?

São diversas questões para te ajudar a entender onde você está. Uma dica para facilitar a sua avaliação é:

Pegue uma folha de papel e  trace duas linhas de cima até na parte de baixo da folha.

Na primeira coluna, responda as questões acima, pensando como você está hoje. Atribua uma nota de 0 a 10 em cada item.

Na coluna ao lado, seguindo a mesma condição, coloque uma nota de 0 a 10 indicando como você gostaria que aquele tópico estivesse.

E por último, na terceira coluna, ao lado de cada item, defina o que você vai fazer para sair da sua nota atual para a nota que você quer chegar.

 

Por exemplo, na Qualidade de Vida, na questão Como está a sua disposição e energia para as atividades diárias? Temos o seguinte:

Coluna 1 (Como estou hoje) – 4

Coluna 2 (Como eu gostaria) – 8

Coluna 3 (o que vou fazer para ir de 4 para 8) – Melhorar alimentação e praticar exercícios 3 vezes por semana

Seja muito sincero nas respostas. Afinal, você estará sendo sincero com você mesmo.

Caso você realmente queira um 2018 repleto de realizações, comece hoje mesmo!

Tenha um novo olhar para a sua vida.

E eu desejo a você um 2018 repleto de realizações, com muita saúde e sucesso!

Grande abraço e até o ano que vem!

03 de dezembro – Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

Estabelecido pela ONU, o 03 de dezembro é o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. Você sabe por que existe esse dia?

Dia Internacional da pessoa com deficiênciaE aí, beleza?

Desde 1992 a ONU estabeleceu o 03 de dezembro como o dia internacional das pessoas com deficiência, com o objetivo de promover uma maior compreensão dos assuntos ligados à deficiência e para mobilizar a defesa da dignidade, dos direitos e o bem estar das pessoas. As Nações Unidas procuram também aumentar a consciência dos benefícios trazidos pela integração das pessoas com deficiência em cada aspecto da vida política, social, econômica e cultural. A cada ano o tema deste dia é baseado no objetivo do exercício pleno dos direitos humanos e da participação na sociedade, estabelecido pelo Programa Mundial de Ação a respeito das pessoas com deficiência.

Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, com dados de 2011, 1 bilhão de pessoas vivem com alguma deficiência – isso significa, aproximadamente,  uma em cada sete pessoas no mundo. As pessoas com deficiência são a maior minoria do mundo. E infelizmente esse número está aumentando, seja pelo crescimento da população, maior expectativa de vida, violência e acidentes.

Muitas vezes, esses problemas são tratados pelo restante da população como um motivo para a discriminação, o que dificulta uma vida de qualidade e digna para as pessoas com algum tipo de deficiência.

O Brasil é um dos países signatários da Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU e, baseado nesse documento, foi elaborada e implementada a Lei Brasileira de Inclusão, Lei nº 13.146/2015, que traz:

Art. 1º  É  instituída a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da  Pessoa com Deficiência), destinada a assegurar e a promover, em condições de  igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com  deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania.

Segundo essa mesma Lei, é considerada pessoa com deficiência aquela que tem impedimento de longo prazo  de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com  uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na  sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

De uma maneira geral, pessoas com deficiência precisam de uma maior atenção por parte dos governantes, principalmente no que diz respeito à acessibilidade e inclusão na sociedade. Segundo a ONU, pessoas com deficiência são mais vulneráveis a abusos e frequentam a escola por menos tempo que as pessoas sem deficiência.

Também é importante destacar que a maioria dos deficientes não consegue entrar no mercado de trabalho principalmente porque alguns empregadores acreditam que essas pessoas não são capazes de realizar o trabalho com eficiência, além de imaginarem que a construção de um ambiente acessível é bastante cara. Sendo assim, está claro que é fundamental que exista uma conscientização da população para diminuir a discriminação e a falta de oportunidades às pessoas com deficiência. São muitos mitos e tabus que com informação básica seriam derrubados, gerando mais condições justas a todos.

Neste sentido, como um dos princípios básicos dos Direitos Humanos, a acessibilidade se insere no contexto mais amplo da promoção da igualdade. A ONU busca enfatizar os significativos benefícios que a acessibilidade pode trazer, tanto para pessoas com deficiência quanto para a sociedade, e a divulgação desse fato entre os governos, as empresas e o público em geral, principalmente a Acessibilidade Atitudinal.

É muito importante que todos tenham em mente que as pessoas com deficiência não são menos capacitadas e, assim como todas as outras, possuem direitos e deveres assegurados.

Entre os principais obstáculos para as pessoas com deficiência estão o estigma e a discriminação, a falta de tratamento de saúde e de serviços de reabilitação adequados, e a inacessibilidade. Como resultado dessa exclusão, as pessoas com deficiência têm menor qualidade na saúde, baixos avanços educacionais e menos oportunidades econômicas do que as pessoas sem deficiência.

O acesso às tecnologias de informação e de comunicação cria oportunidades a todos na sociedade, mas principalmente para pessoas com deficiência, pois nesse meio diminuem as barreiras sociais geradas pelo preconceito, pela infraestrutura, e pelos formatos inacessíveis que impedem a participação. Quando disponível a todos, tecnologias da informação permitem que as pessoas alcancem seu potencial pleno, e permitem que pessoas com deficiência contribuam para o desenvolvimento da sociedade.

No primeiro encontro mundial sobre a sociedade da informação, em 2003, os governos expressaram seu compromisso de construir uma sociedade da informação inclusiva, centrada na pessoa e voltada para o desenvolvimento, onde todos pudessem criar, acessar, utilizar e compartilhar informação e conhecimento. Apesar desta visão, muitas pessoas com deficiência permanecem impossibilitadas de utilizar os recursos da Internet plenamente, já que boa parte dos sites’ continuam inacessíveis a pessoas com algum tipo de deficiência visual, pois navegação é altamente dependente do uso do mouse.

Fazer tecnologias de informação acessíveis a todos não é somente uma matéria de direitos humanos, pois também gera bons negócios. Os estudos sugerem que os sites acessíveis aparecem melhor cotados nos rankings dos motores de busca e permitem também a empresas o acesso a um maior banco de dados de clientes.

Para finalizar, proponho um rápido exercício para você. São apenas três passos simples. São eles:

  • Passo 1: Feche os olhos
  • Passo 2: Com os olhos fechados, vá até a sala da sua casa, pegue um DVD e o coloque no aparelho para assistir
  • Passo 3: Ainda com os olhos fechados, pegue o controle remoto e vá até as configurações de áudio e altere o idioma

Assim que você terminar, me envie um e-mail no contato@gabrielmetzler.com contando como foi essa experiência.

São estimados 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual no Brasil. Será que a acessibilidade pode gerar novos negócios para sua empresa? Já pensou em aumentar o seu público consumidor?

Além de respeitar os Direitos Humanos, você estará trazendo dignidade e proporcionando novas oportunidades a esse novo público. Esse é só um pequeno exemplo, de tantos outros que eu poderia relacionar aqui.

Tenha você um novo olhar para as pessoas com deficiência.

Grande Abraço!